Entrevista: Felipe Castilho autor de Ouro, Fogo e Megabytes

Olá queridos leitores! 
É com muita honra que inicio mais uma coluna no blog, uma coluna  de entrevistas. Para inaugurar este espaço no meu blog, nada melhor do que entrevistar um autor que eu admiro muito e gosto do seu trabalho como Felipe Castilho autor do livro Ouro, fogo e megabytes. Livro que já resenhei aqui no blog, espero que gostem da entrevista...

Você sempre quis se tornar um escritor?
Desde os 8 anos de idade. Tudo bem, a noção do que é "ser" escritor nesta fase da infância é bem diferente da noção que eu ganhei bem mais tarde. É algo do tipo "quando eu crescer quero ser bombeiro". Mas acho que a semente foi plantada naquela época. Eu rabiscava histórias em cadernos, sobre tomates montando bandas de rock, plágios inconscientes de Cavaleiros do Zodíaco, fanfics de Star Wars e de Jurassic Park... Enfim, tudo o que uma criança que não sabe jogar futebol faz no Brasil de hoje em dia.
Com quantos anos você começou a escrever o seu primeiro livro ou conto?
Eu venho trabalhando contos desde os 13 anos. O primeiro livro foi com 16. Escrevi mais de 700 páginas à mão. Era uma droga, mas tinha ótimas ideias. O primeiro livro bom, eu já tinha uns 20 anos.
Por que você escolheu o folclore como tema principal do seu livro?
Foi algo que sempre me atraiu. Lendas populares, lendas urbanas, mitologia. Essas contações de histórias, sobre assombrações e coisas que só acontecem na mata de madrugada, com os desavisados... As lendas daqui sempre pesaram no meu imaginário, tanto quanto as lendas de fora.
Os nomes dos persongens, Anderson, Valentina entre outros. Tem algum significado especial para você?
Eu nunca coloco um nome de bobeira. Tudo tem um significado pra mim, por menor que seja. Valentina tem, mas acho que não importa mais. Anderson é o nome de um dos meus melhores amigos, que inclusive me ajudou com a crítica de Ouro, Fogo & Megabytes, principalmente nas partes em que aparecem os meninos jogando Battle of Asgorath. Além de ser o nome do meu amigo, também é uma referência ao "Mr. Anderson" de Matrix, o Neo. O sobrenome Coelho tem a ver com o Coelho Branco que Neo segue (e que Alice seguiu, muito antes de Matrix) rumo a um mundo desconhecido. E também tem uma sonoridade boa para os futuros leitores do exterior, que conhecem muito bem Paulo Coelho. São referências e homenagens, tudo misturado!
Algum personagem tem algo em comum com você?
Todos, eu acho. Até o Wagner Rios tem um pouco de mim, infelizmente.
Quais os autores que te inspiraram a escrever?
Neil Gaiman, Douglas Adams, Mário Prata, Stephen King, J.K. Rowling, Terry Pratchett... mais um monte deles. Cada livro que li na minha vida conta na hora de se inspirar. Até os ruins.
Como funcionou o processo de criação do livro?
Muita pesquisa, muita leitura e muito MMORPG. Eu não sou muito de video-games, e tive que fazer um laboratório intensivo para não dizer nenhuma bobagem no livro.
Como está sendo a recepção do público leitor?
ótima! Acho que o povo gostou de ver um personagem tão fácil de se identificar, interagindo com novas versões de criaturas tão conhecidas por nós, seja através das lendas, de Monteiro Lobato, de Câmara Cascudo...
Pretende lançar algum livro com outro tema?
Muitos outros livros, de todos os temas possíveis! Tem o Omni, que é um livro mais adulto e que mostra um embate político entre Céu e Inferno, tem uma distopia que ainda não tem nome, tem um western fantástico... Além de alguns infantis bem bonitinhos.
Tem como dar uma adianta do que vai acontecer nos próximos livros da série?
Claro! Com ou sem alerta de SPOILER? Nos próximos, o passado de cada personagem terá destaque especial. Inclusive, saberemos mais sobre Anselmo e Wagner Rios... Novas criaturas, muitos novos inimigos, e uma aventura focando no elemento Terra. Ah, sim. E o Chris será muito importante nessa história. Já consegue imaginar qual será o monstro da vez?

Anderson e Valentina podem ficar juntos?
Se a vida fosse toda colorida e não tivesse mais ninguém na jogada... Alguns novos personagens podem complicar a (ainda inexistente) vida amorosa desses dois... Mas eles formariam um casal bonito!
 Deixe uma mensagem para os leitores do blog, e leitores do seu livro:
Quero mandar um abração pra todo mundo que leu o OF&M ou que lê o ''Livros e Mais!", e dizer que estou aberto a convites para duelos de arco e flecha ou de jogos antigos para Super Nintendo. Porque eu estou ficando velho, e esses games modernos são muito complicados. Eu apanho o tempo todo em God of War, sou péssimo em Need For Speed, só levo goleada em Fifa e PES... Mas enfim, para todos os amigos de páginas e letras, nos vemos logo mais! Em todo caso, me procurem no Facebook, ou twitter: @felcastilho. Só não me mandem convite para Meu Calendário, ok?

Para vocês conhecerem mais sobre o livro leiam a resenha que fiz Clicando aqui
Gostaria de agradecer ao Felipe Castilho por ter sido super simpático e por ter concedido a entrevista!
Vocês gostaram? Comentem o que acharam da entrevista e do livro!
Até a próxima!

David.H.S

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha de filme: O labirinto do Fauno

Resenha de filme: Os Outros

Resenha de Filme: A mão que Balança o Berço